ABRIL, MÊS DA DANÇA: AULA PÚBLICA AGITA O BAIRRO SARINHA

O_professor_Marcelo_Neto_diz_que_se_sente_feliz_em_ver_pessoas_mudarem_o_modo_como_enxergam_a_vida_a_partir_das_aulas_de_dança_-_Foto_Viliane_Reis

Quando o assunto é dançar, a palavra “distração” não existe no vocabulário daqueles que se dedicam ao máximo. Todos atentos ao movimento, é hora de se divertir. Foi assim na manhã da última sexta-feira (17), quando alunos da “Casa das Artes – Unidade Sarinha / CSU” participaram de uma aula pública de dança na praça Alvorada, no bairro Sarinha, no bairro Sarinha Alcântara, num evento organizado pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). O evento fez parte das comemorações da FICC em torno do Dia Mundial da Dança, a ser comemorado no próximo dia 29 de abril.

De acordo com Luciana Seara, coordenadora da Casa das Artes – Unidade Sarinha, “além de comemorar o mês da dança, o objetivo da aula é mostrar para à população que mesmo que você não saiba dançar e não tenha habilidade, o importante é se divertir”, explicou a coordenadora.

Para Edna Santos de Jesus, moradora do bairro Mangabinha, participar das aulas de dança na Casa das Artes mudou sua vida. “Depois que comecei a fazer as aulas, as dores no corpo sumiram, hoje tenho mais disposição para ir trabalhar, e a minha autoestima melhorou bastante”, revelou.

 Com 70 anos, Antônia Evanice Alves Dias, deu um show de simpatia e disposição. Ela repetia todos os movimentos, dando uma aula de força de vontade. “Quando eu comecei na dança, senti que o meu corpo melhorou bastante. Antes, eu não conseguia dormir e, agora, com poucos dias que comecei a frequentar as aulas de dança, posso dizer que me sinto bem melhor”, explicou Antônia. 

José Marcio dos Santos, 60 anos, morador do São Caetano disse que a dança surgiu em sua vida como uma maneira de deixar as preocupações do dia a dia de lado. ” A dança trabalha o corpo e a mente, quando estou dançando esqueço todos os problemas, saio daqui renovado”, destacou.

Para Marcelo Neto, a dança vai além de melhorar a condicionamento físico; ela melhora a autoestima, trabalha a mente em todos os aspectos. “Fico muito feliz quando ouço depoimentos de alunos que depois que começaram a participar das aulas de dança se sentiam tristes, não tinham o prazer de viver, e depois que começaram a frequentar as aulas, se transformam em pessoas felizes. Como professor e apaixonado pela dança, me sinto feliz por saber que através das minhas aulas as pessoas estão elevando sua autoestima. Isso é gratificante”, complementou.

Quem tiver a curiosidade de saber mais sobre o projeto “Casa das Artes” ou sobre as aulas de dança, as informações completas podem ser obtidas na sede da FICC, na Praça Laura Conceição, 339 – Centro. O telefone para contato é o (73) 3613 4915.

PMI

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *