Carro zero precisa de cuidados até amaciar o motor

A dica é antiga, mas segue atual, mesmo com a evolução da tecnologia: motor de carro novo precisa ser amaciado, sim. Isso não significa, porém, que você precise andar só a 20 km/h ou evitar dar carona, como alguns pensam. O importante é ter atenção nas acelerações nos primeiros dias de uso. Quase todas as montadoras recomendam cautela com o motor logo que o carro sai da concessionária. Isso estará escrito no manual do proprietário, quando for o caso. A Volkswagen, por exemplo, considera os primeiros 1 mil quilômetros a fase de amaciamento.  A montadora diz que nesse período o motorista nunca deve ultrapassar ¾ da velocidade máxima do veículo. Além disso, indica evitar acelerações excessivas que levem a altas rotações. Antes dos primeiros 1 mil quilômetros também não é indicado usar reboque.

Os cuidados iniciais, observa a VW, aumentará a vida útil do motor e resultará em baixo consumo de óleo o combustível. O amaciamento é necessário para melhor ajuste das peças móveis de dentro do motor. Elas podem sair da fábrica com alguma rugosidade. Claro que essa rugosidade é bem menor nos carros de hoje do que anos atrás devido ao aumento da tecnologia na fabricação. Antes, as fábricas faziam ajustes a mão nas peças do motor. Agora é tudo automatizado. Mesmo assim, o atrito inicial pode soltar pequenas partículas no óleo mais do que soltaria em um veículo com maior quilometragem. Por isso, existe a recomendação para não exagerar nas rotações, não passar das 4.000 ou 5.000 rotação por minuto (rpm). Isso provocará uma lubrificação de óleo mais lenta para fazer a limpeza de eventuais resíduos metálicos.

Silvio Figueiredo, pesquisador do Laboratório de Motores do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo, diz que cabe ao fabricante decidir se é necessário algum cuidado especial no início da vida do motor. “Se necessário, os proprietários devem seguir as instruções do fabricante. Enquanto não adequadamente ajustado, por exemplo, se os anéis exercem uma pressão maior sobre os cilindros enquanto novos, é natural esperar algum gasto adicional de combustível, devido ao maior atrito”, observa o Figueiredo. É por esse motivo que algumas montadoras recomendam a primeira troca de óleo com menor quilometragem do que as demais, justamente para substituir o óleo contaminado pelas partículas resultantes do ajuste. (Canarinho Press)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.