EM MENOS DE UM ANO INFESTAÇÃO PELO MOSQUITO DA DENGUE DIMINUI 56,52% EM ITABUNA

dengue.jpg

Finalizado nesta sexta-feira, o LIRAa, levantamento que mede o percentual de infestação domiciliar pelo mosquito da dengue, apresentou menor índice depois de 2009, quando o LIRAa foi de 10,9%: Comparando com a pesquisa feita em janeiro deste ano, a infestação caiu 56,52%, de 21,3% para 11,6% nos seis mil domicílios pesquisados, entre os dias 6 e 9 de outubro. Também o índice de Breteau, que analisa a quantidade de mosquitos presentes nas residências, confirma a redução. Em março o Breteau era de 34,71%, agora é de 17,7%.

A Secretaria de Saúde atribui a queda significativa na infestação pelo Aedes aegypti ao efetivo trabalho de campo realizado pelos agentes de endemias. Atualmente eles trabalham em áreas zoneadas, mais próximas de suas residências, o que agiliza e facilita o trabalho. A diretora do Departamento de Vigilância à Saúde, Larissa Pimentel, e o coordenador de Combate as Endemias, Renato Freitas, também destacaram a utilização do larvicida Novalurom, adotado em 2014, e o investimento na melhoria das condições de trabalho dos agentes, incluindo a aquisição de três carros e duas motos para o trabalho de campo.

Outro fator que tem sido fundamental ao sucesso do combate à dengue é a participação da população, que agora dispõe do Disk Dengue (3612-8324), para informação, pedido de ajuda e/ou denúncia de focos do mosquito. Mesmo com a queda no índice de infestação domiciliar pelo mosquito da dengue, a Secretaria de Saúde pede que a população mantenha-se em alerta e colabore com o trabalho dos agentes de endemias, facilitando o acesso às residências e informando possíveis focos.

De acordo com a análise feita até agora pelo Departamento de Vigilância a Saúde, os bairros com maiores índices de infestação são: Vila Paloma (50%), Corbiniano Freire (47%) e Sarinha (32%). Já bairros que em março estavam com infestação alta, tiveram queda significativa. A exemplo do Daniel Gomes, que passou de 70% para 20% e do Santo Antônio que saiu de 22% para 5%. A região com menor índice foi a do Centro e proximidades do bairro de Fátima, cujo índice caiu de 9,61% para 5,2%. A região de Ferradas e Nova Ferradas também têm índice de 17,22%. Na próxima semana será divulgado um relatório mais detalhado sobre a situação por bairro.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *