Estudantes da rede estadual apresentaram projeto sobre Ditadura Militar em Itaju do Colônia

Ditadura.jpg

Os estudantes do Colégio Estadual Cordeiro de Miranda, no município baiano de Itaju do Colônia, realizaram, nesta quarta-feira (17), em praça pública, o encerramento do projeto interdisciplinar ‘Caminhando Contra o Vento: Ditadura Militar’. As apresentações de dança, teatro e poesia, com temas ligados à época do golpe militar de 1964, contaram com um público formado também por professores e gestores de outras unidades escolares da região.

O diretor da escola, Laécio Silva Dantas, ressaltou que, com projeto ‘Ditadura Militar Direito à Memória: 50 anos do golpe militar de 1964’, desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado, a população de Itaju do Colônia (cerca de 8 mil habitantes) e, principalmente, os estudantes, passaram a tomar conhecimento de mais detalhes deste período da história do país. “Muitos ali presentes sequer tinham nascido no período da Ditadura Militar no Brasil, e quem já era vivo, a exemplo dos pais dos alunos, não tinham muita apropriação do assunto”, disse o diretor.

Envolvimento dos estudantes

Sob a coordenação da professora Elizabete Souza Costa, o projeto Caminhando Contra o Vento: Ditadura Militar teve início em sala de aula, nas oito turmas, sendo que cada uma se debruçou em um dos temas: imprensa falada e escrita, ideologia dos governantes e governados, a influência da música na época, a economia do período, a educação e o processo de globalização, os movimentos populares e os grupos de resistência durante a ditadura e o exílio e a anistia.

“O mais interessante de tudo foi perceber o envolvimento dos estudantes na discussão dos temas, e que as famílias dos alunos, mesmo os que moram na zona rural, compareceram em peso ao evento, levando-se em conta que a população é caseira e não costuma se mobilizar para eventos públicos”, observou a professora Elizabete.

A estudante Aline Santos Costa, 17 anos, 3º ano, conta que o projeto contribuiu muito para a sua percepção sobre a história brasileira. “Foi muito rico esse trabalho porque eu não tinha uma dimensão profunda sobre o que tinha acontecido naquele período de ditadura militar. Foi, sem dúvida, um aprendizado que irá me ajudar na compreensão de outros fatos históricos do país”, afirmou a aluna.

Projeto

A iniciativa desenvolvida pelo Colégio Estadual Cordeiro de Miranda está de acordo com o projeto ‘Ditadura Militar Direito à Memória: 50 anos do golpe militar de 1964’, desenvolvido desde 2013 pela Secretaria da Educação. A iniciativa contribui para despertar a comunidade escolar para este momento da história brasileira. Uma das iniciativas foi a mudança do nome do Colégio Estadual Emílio Garrastazu Médici, localizado em Salvador, para Colégio Estadual do Stiep Carlos Marighella, no mês de abril.

Além disso, diversos conteúdos foram disponibilizados no Portal da Educação (www.educacao.b.gov.br). São ferramentas para que estudantes, professores e sociedade possam ter acesso a conteúdos como artigos, fotos, bibliografia especializada, biblioteca virtual, depoimentos de ex-presos políticos, entre outros.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *