ITABUNA DEFINE NOVA ESTRATÉGIA PARA O COMBATE À DENGUE

A partir da próxima semana a Prefeitura de Itabuna, por meio da Coordenação de Controle de Endemias da Secretaria Municipal da Saúde em conjunto com a Emasa começa a desenvolver ações de tratamento dos reservatórios domiciliares nos bairros com índices de infestação da dengue acima de 20%. A decisão foi tomada na tarde de quarta-feira, dia 21, durante reunião do

Na quarta-feira passada dia 14 o Comitê Municipal da Dengue se reuniu em sessão ordinária - Foto Gabriel de Oliveira 2
Na quarta-feira passada dia 14 o Comitê Municipal da Dengue se reuniu em sessão ordinária

Comitê Municipal de Mobilização e Avaliação para Controle da Dengue, que definiu a nova estratégia de trabalho dos Agentes de Controle de Endemias.

O objetivo é reduzir o Índice de Infestação Predial (IIP) e as notificações de casos de transmissão da dengue em Itabuna no próximo verão. O Comitê Municipal reúne 35 entidades, entre organismos governamentais e representantes da sociedade civil, a exemplo do 4º Grupamento de Bombeiros Militares, 15º BPM, da Diocese de Itabuna, Conselho Itabunense de Ministros e Pastores Evangélicos, Maçonaria e conselhos regionais de Medicina e Enfermagem.

Os bairros com Índice de Infestação Predial acima de 20% e que, inicialmente, contarão com o trabalho conjunto entre a Secretaria de Saúde e a Emasa são: Califórnia (21,33%), Corbiniano Freire (20,62%), Daniel Gomes (33,91%), Lomanto Júnior (27,13%), Maria Pinheiro (23,35%), Manoel Leão (25,0%), Novo Horizonte (24,46%), Novo São Caetano (23,87%), Nova Califórnia (26,37%), Santa Catarina (21,98%) e Sinval Palmeira (20,23%).

Segundo o coordenador de Combate às Endemias da Secretaria da Saúde, Renato Freitas, os 11 bairros foram escolhidos considerando os resultados do último Levantamento de Índice Rápido Amostral do Aedes aegypti (LIRAa), divulgado pelo Ministério da Saúde mês passado. Tais resultados apontaram ainda que Itabuna registra um Índice de Infestação Predial de 13,6% entre os 122 mil domicílios do município.

"Com o trabalho conjunto e o tratamento dos depósitos de água, vamos nos antecipar e fazer procedimentos de combate aos focos do mosquito transmissor antes da chegada da alta estação de temperaturas mais quentes e chuvas. Pois, é justamente no momento em que os reservatórios são abastecidos que os ovos do mosquito contidos neles eclodem, dando origem às larvas do Aedes aegypti", explicou Renato Freitas.

O coordenador de Combate às Endemias acrescenta que a expectativa é que no verão o município esteja em situação mais tranquila de não transmissão de dengue. Caso aconteça, que seja em números bem mais reduzidos. De acordo com os dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, de janeiro de 2015 até a sexta-feira passada, 16, o município havia notificado 5.917 casos de dengue.

_______________

ASCOM PMI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.