O relacionamento entre escolas e alunos do mesmo bairro é diferente

Muitos alunos estudam em escolas que ficam no mesmo bairro em que moram. O gasto com transporte é economizado e o tempo para chegara escola também. Mas a relação entre escola e aluno é o principal diferencial. O Bairro de Fátima possui algumas escolas, e os alunos são, em maioria, moradores do próprio bairro.

Daniel Brito é coordenador pedagógico da Escola Municipal Firmino Alves, que fica no bairro de Fátima. Daniel conta que o relacionamento com aqueles que moram no bairro é diferente, os pais desses alunos costumam freqüentar mais a escola. O coordenador do colégio que recebe crianças de 7 a 12 anos, jovens e adultos explica que esse relacionamento pessoal é um grande diferencial.

Boa parte dos alunos do Firmino Alves são moradores do Bairro de Fátima. Daniel afirma que as classes sociais dentro de escolas de bairros também podem ser diferentes dos colégios do centro da cidade, uma vez que muitos alunos são de áreas periféricas do bairro. “Estar no centro ou não, não mostra superioridade no ensino”, declara o coordenador.

Em relação a proposta de ensino ele explica que pode haver diferenças, mas que isso acontece por conta de propostas pedagógicas e que é uma diferença que não está restrita as escolas de bairro, mas a qualquer escola.

O neto de Eliete Santana Macedo tem apenas oito anos e estuda no mesmo bairro onde mora, Bairro de Fátima. Ela conta que há facilidade em levar o pequeno Vinícius para escola por conta da facilidade em morar perto. Sem contar que é uma grande economia, uma vez que não gasta com transporte público. Para Eliete, há também a qualidade da escola, dedicação dos professores e diretora. Ela gosta da maneira que ela e o neto são tratados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.