PREFEITURA QUER REDUZIR RESISTÊNCIA AO TRATAMENTO CONTRA TUBERCULOSE EM ITABUNA

Mesmo com diversas campanhas para orientar, conscientizar e sensibilizar a população sobre a doença e novas ações preventivas desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), o número de pacientes que não conclui o tratamento contra a tuberculose ainda é alto em Itabuna. Há mais de 20 anos está entre os municípios prioritários no estado.

Para tentar fazer com que todos os pacientes do município concluam o tratamento contra a tuberculose, a Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde está traçando novas estratégias. Uma das medidas para quebrar à resistência ao tratamento é a implantação do Comitê Itabunense de Enfrentamento da Tuberculose, doença que ainda mata milhares de pessoas todos os anos no Brasil.

 

O primeiro encontro para debater a criação do Comitê e discutir o perfil epidemiológico do município foi realizado nesta terça-feira, 15, pela Secretaria Municipal de Saúde, no auditório Paulo Bicalho, da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. Os números oficiais indicam avanços importantes no tratamento gratuito, mas que ainda estão muito longe do ideal, principalmente porque, muitas vezes, a família e o próprio paciente não contribuem com processo para cura da doença, que se dá com a conclusão do tratamento.

Esses e outros descuidos têm contribuído para o elevar o agravamento do quadro clínico do paciente e até caos de morte. Entre 1º de janeiro de 2009 e junho deste ano, por exemplo, foram 18 mortes de pessoas que iniciaram o tratamento, mas que desistiram assim que apresentaram melhora parcial no quadro de saúde. "Às vezes, a pessoa chega muito mal. Dois meses depois melhora, acha que já está curada e não continua com a medicação, o que é um grande erro", explica a coordenadora do Comitê, Tatiana da Silva Pires.

NÚMERO DE CASOS

Em média 30 pessoas por ano têm abandonado o tratamento em Itabuna. No ano passado foram registrados 122 novos casos de tuberculose e, entre janeiro e junho deste ano, outras 50 notificações. Itabuna é o terceiro município baiano em número de notificações da doença, ficando somente atrás de Feira de Santana e Salvador.

Para Rosângela Palheta, da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), Itabuna está dando um passo importante ao implantar o Comitê de Enfrentamento a Tuberculose e adotando medidas para mostrar para população que doença é um problema de todos. "Não depende somente das ações dos municípios, Estado e Ministério da Saúde", observou Rosângela Palheta, acrescentando que a população deve estar atenta ao grave problema de saúde pública.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde 10 bairros apresentam a maior quantidade de ocorrências. A lista inclui Califórnia (8,2 casos), Santo Antônio (6,9), Fátima (6,7), Pedro Jerônimo (5,5), São Caetano (4,6) Mangabinha (3, 6,), Nova Itabuna (3,6), Santa Inês (3,3), além do Centro (4,8).

_____________________

Prefeitura de Itabuna

Secretaria Municipal de Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.